Lugares de partida

Os lugares de partida da «vaga gente sem geografia cumprindo em sua carne, obscuramente, seus hábitos», como escreveu Jorge Luis Borges. Os portos e as praias da memória. Travessias de ida e volta entre a saudade e a esperança de corações emigrantes navegando num mar em cujas águas verdes, azuis e negras se espelha a nossa essência comum.

Passar então à subpágina e ler a crónica Sagres, de Lídia Jorge, para sentimos “o aceno que leva para longe o nómada das águas.”